Por que escrever? (poesia)

Por que escrever?

Por: Daniel Pinheiro – (Escrita em: 20/02/2002)

 

Dou-me aos céus se tiver que me apaixonar

Dou-me ao inferno para arder em tesão

Dou-me aos amigos para juntos bebermos

Dou-me aos nefastos para juntos vadiarmos

Dou-me às meretrizes para sentir um vago prazer

Dou-me às donzelas para senti-las em êxtase

Dou-me ao sol só para esquentar-me

Dou-me ao mar apenas para molhar-me

Dou-me ao canto apenas para dedilhar

Dou-me ao pranto apenas para desabafar

Dou-me ao fumo para deleitar-me

Dou-me ao chá para vaguear

Dou-me aos bacanais para farrear

Dou-me à boemia para bêbado ficar

Dou-me às ricas damas para me casar

Dou-me àquelas sem fama para me deitar

Dou-me ao réquiem para descansar

Dou-me à noite para a ti inquietar

Dou-me à gula para saciar-me

Dou-me ao jejum para provocar-te

Dou-me à seita para ninguém clamar

Dou-me à luz para perdoar

E vivo, porque

Dou-me ao nada só para te escrever

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

"Sou obrigado a reconhecer que, com toda a corrupção que teve de um tempo para cá, o que encontramos no governo Collor deveríamos ter enviado para o juizado de pequenas causas". (Sen. Pedro Simon)

%d blogueiros gostam disto: