De Marola em Marola, o Tsunami

debatepronto

Parabéns a você, que comemorou a imbecilização da classe média. Parabéns, a você, que comemorou a geladeira e o carro novo. Parabéns, a você, sim, a você, que aplaudiu a “marolinha” do outro. E, Parabéns, a vocês, que insistem em dizer que estamos no rumo certo. Parabéns a você que acredite que Robin Hood é justo, muito justo. Parabéns a você que não quer enxergar a bola de neve que já rolou mais da metade do barranco, sem freio, sem pretensão de parar. Parabéns, a você, que paga cada vez mais caro para sustentar uma corja de sanguessugas, que por sua vez cria pequenos sanguessugas na base de uma sociedade doente para acharem que é normal ser sanguessuga.

Parabéns, enfim, a todos nós, que enxergamos a luz no fim do túnel. Mas, acho que é o trem que está vindo.

Daniel Pinheiro

—————————————————————————–

Preço da cesta básica sobe em 15 de 18 capitais, diz Dieese

Fonte: Valor Online / UOL Economia

Link Original: http://goo.gl/gtUnMK

O preço da cesta básica subiu, em novembro, em 15 das 18 capitais onde o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) apura o valor dos gêneros alimentícios considerados essenciais.

As maiores elevações do preço da cesta ocorreram em Fortaleza (3,47%), Florianópolis e Belo Horizonte (ambas com alta de 2,67%), e Vitória (2,43%). Em São Paulo, houve aumento de 1,38%. Houve redução no valor da cesta em Goiânia (3,06%), Aracaju (1,73%) e em Recife (0,69%).

Entre janeiro e novembro deste ano, somente em Goiânia houve queda (3,32%). Nas outras 17 localidades, foram registrados aumentos, com destaque para Salvador (14,45%), Natal (13,47%), Rio de Janeiro (12,44%) e Porto Alegre (11,67%).

Porto Alegre foi, pelo segundo mês consecutivo, a capital com a cesta mais cara (R$ 328,72), seguida por São Paulo (R$ 325,56), Vitória (R$ 321,41) e Rio de Janeiro (R$ 316,88). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 218,71), Goiânia (R$ 254,44) e João Pessoa (R$ 257,16).

4 vezes o mínimo

Com base no custo apurado para a cesta de Porto Alegre, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve suprir as despesas de uma família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese estima que o menor salário pago deveria ser de R$ 2.761,58, ou seja, 4,07 vezes o mínimo em vigor, de R$ 678.]

Carne mais cara

Os itens que mais encareceram nas cestas básicas das capitais foram a carne bovina, com alta em 15 delas, tomate (14), pão francês (13), açúcar (10) e manteiga (10). Outros seis itens de alimentação mostraram tendência de queda na maior parte das cidades pesquisadas: leite (14 capitais), feijão (14), banana (14), óleo de soja (14), café em pó (13) e arroz (10).

O preço da carne, produto de maior peso na cesta básica, continuou em elevação no mês de novembro, pois 15 das 18 capitais apresentaram altas entre 0,50% (Salvador) e 6,35% (Vitória).

O pão francês teve elevação em 13 das 18 capitais e as variações oscilaram entre 0,14%, em Manaus, e 3,81%, em Porto Alegre.

Após um período de alta, o preço do leite decresceu em 14 cidades em novembro, com variações entre -4,02%, no Rio de Janeiro, e -0,34%, em Manaus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s