Sinceramente… muito bom!

…uma das mais lúcidas reflexões que li nos últimos dias. O meu amigo Alisson Endler enviou, ficou ali mofando no e-mail até eu arrumar um tempinho para ler. Merecia o tempo, e foi merecida a parada para a leitura.

Divirta-se. O original? Tá aqui: http://quadrinhosgonzo.wordpress.com/2011/09/29/cronica-gonzo-vai-fazer-o-que-da-vida/

(já falei que sou fã da página do Quadrinhos Gonzo?)

Daniel Pinheiro

——————————————————————–

Vai fazer o que da vida?

Estamos no final de mais um ano e tenho certeza que muita gente neste exato minuto está se preparando para o vestibular. Talvez até já tenham passado e agora aguardam o primeiro dia de aula no ano que vem. Esta Crônica Gonzo é especialmente para vocês. E se não for o seu caso, por favor: repasse-a para alguém nestas condições.

Se eu pudesse dar um conselho em relação ao futuro (além daquele famosão de sempre usar filtro solar) eu diria: não vá para a faculdade antes dos 30 anos.

Infelizmente hoje parece completamente lógico que um pré-adolescente (sim, PRÉ adolescente) de 17 anos, assim que sai do colégio, já deve saber o que ele quer fazer para o resto da vida. A não ser em casos raríssimos, de jovens com até menos idade que já sabem muito bem qual a sua vocação, nesta idade a grande maioria não tem noção nem de quem eles mesmo são… e talvez demorem até os 50 anos para descobrirem. Pode apostar: testes vocacionais não ajudam em porra nenhuma porque eles só vão apresentar as suas áreas de interesse em TEORIA. Sem falar que a sensibilidade de muitas pessoas muda muito com o passar da vida – e isso é algo bom!

E não é apenas uma questão de vivência (de fato para você saber o que quer fazer da sua vida você precisa viver ANTES e não o contrário!) a culpa da nossa total confusão sobre o que queremos fazer em termos profissionais assim que terminamos o colégio é culpa do próprio sistema de ensino. Não, não! Não estou me referindo àquele mote de “escolas brasileiras são um lixo” e coisa e tal. Acreditem: em termos de “qualidade de ensino” estamos melhorando pouco a pouco, mesmo nas escolas públicas. Mas isso não adianta nada. No fundo não tem muita diferença entre a escola da favela e a escola hyper cara frequentada por filhos de donos de multinacionais. O problema está no MODO como somos ensinados.

Michel Foulcault, filósofo fodão, CANSOU de falar para todo mundo quais são os problemas do sistema de ensino, que é mais um “adestrador” de mentes do que um “ensinador”. Rubem Alves, grande educador, sempre que pode nos fala sobre a merda que é o modo como somos castrados desde criancinhas, aprendendo coisas que não nos interessa apenas para sermos iguais a todo mundo. Não dizem que é preciso se destacar, porra?! Nas escolas se você é muito bom numa matéria… beleza! Você tira “A”, você tira “10”. Se você quer ir além, você não pode porque todos aqueles cuzões dos professores precisam te nivelar (quinta série, sexta série…) diante do restante da macacada. E naquelas matérias que você é ruim você PRECISA investir naquilo porque você precisa ser NIVELADO! E se não conseguir… ainda é chamado de burro!

Nunca me esqueço de um dia que o pessoal da minha escola foi visitar uma petroquímica e havia uma guia que tinha feito faculdade de comunicação ou coisa assim. Parece que o químico que ia nos dar uma palestra faltou por algum motivo e a moça, que tinha assistido a todas as palestras, teve que falar de improviso para nós e explicar as coisas. No meio da conversa ela deu uma gafe e disse alguma coisa sobre “petróleo ser um metal” ou coisa parecida… sei lá… e isso virou a desculpa da nossa professora de química dizer “Tão vendo? Vocês não gostam de química e dizem que nunca vão usar isso para nada, mas um dia vocês podem precisar deste conhecimento!”. CA-RA-LHO!!! Para começar a culpa não foi da moça que era só uma guia e não tinha OBRIGAÇÃO NENHUMA de saber nada sobre química! E pensando bem… foi culpa dela sim porque a bundona deveria ter se recusado a dar uma palestra para o qual ela não é gabaritada. Todos temos que saber nossos limites!

Temos que ter conhecimento genérico (e superficial) sobre tudo só porque “um dia podemos precisar”?! Temos sempre que nos nivelar por baixo, investindo no que somos RUINS ao invés de investir no que somos bons?! Infelizmente é isso que a escola normal nos ensina, seja aquelas escolas de baixo nível, seja as de alto nível.

E depois que todo este conhecimento genérico e superficial nos é enfiado pela goela, temos que, baseado nele, decidir a nossa profissão! Somos obrigados a entrar na faculdade cedo demais porque dizem que “não podemos perder tempo”. PORRA!!! Quantos de nós fizeram uma faculdade que nem queriam, só para cumprir tabela, e hoje se arrependem do tempo que gastaram numa carreira que não gostavam? Isso que é “ganhar tempo”? Por que tudo tem que ser tão rápido?! Sexo só tem que ter dez minutos então! Ou talvez seja melhor nem perder tempo com sexo, afinal a não ser que você seja um mixê ou uma puta não vai lucrar nada com isso! Se temos que fazer as coisas em pouco tempo então que tal viver só até os 27 anos, heim? Uma economia de vida e a solução para não termos mais problemas com a previdência.

Esquecemos duas das coisas mais primordiais em termos de educação que é: você só quer saber de alguma coisa quando VOCÊ quer descobri-la! E o ensino é gravado mais forte na sua mente quando você faz um ESFORÇO para conseguir esta informação! Na escola nos tiram estas duas coisas mais básicas para se aprender, caralho! O professor de Matemática, o professor de História, o professor de Religião, o professor de Física te obrigam a aprender sobre coisas que você não quer saber. E o pior é que você nem precisa fazer esforço para descobrir as coisas, está tudo mastigadinho e prontinho numa apostila TUDO o que você “precisa” saber!

Eu lembro que quando eu estudava História (alias talvez eu faça esta faculdade futuramente) eu perguntava para o meu professor: “Ok, em 1.500 D.C. descobriram o Brasil, mas não estava acontecendo mais nada de interessante nesta época em nenhum lugar do mundo?” Claro que estava! Nas apostilas escolares falta falar da China, falta falar da Índia… países que só aparecem na linha temporal DEPOIS que foram conquistados pelos ocidentais durante as Guerras do Ópio e com o advento de Gandhi. A porra da Guerra do Paraguai nos é mal e porcamente explicada… e olha que foi o MAIOR conflito armado que o Brasil já participou, mais ainda que a Segunda Guerra Mundial, porque foi no nosso território! Uma covardia sem tamanho, onde matamos quase TODA a população masculina de um país onde praticamente não havia mais analfabetos. Um país incrivelmente moderno para a época e nós, brasileiros, acabamos com eles manipulados por um bando de imperialistas que não tinham interesse em ver nenhum país Sul-Americano crescer em termos de ciência e tecnologia.

O sistema de ensino atual em grande parte do mundo é uma merda porque ele foi criado na época em que as escolas se tornaram obrigatórias, lá nos idos da Revolução Francesa. Foi quando a burguesia (perdão pelo termo desgastado pelo Cazuza) tomou o poder. E por que os burgueses tinham tanto interesse que a galera soubesse ler e escrever e soubesse um basicão sobre tudo? Para se tornarem mão-de-obra, claro! Algum dia você se perguntou POR QUE você estuda? POR QUE você tem que ter uma faculdade? Antes, na época da minha mãe, as crianças ganhavam Diploma de Primário, porque era o ensino básico único que você precisava, o resto era enfeite. Depois era Diploma de Ginásio. Depois ambos desapareceram e foi criada a nona série e o Diploma de Ensino Fundamental. Depois Diploma de Colégio… Diploma de Faculdade… Diploma de Mestrado… não lembro quem disse esta frase maravilhosa: “Estamos ficando coletivamente mais inteligentes e individualmente mais burros.” E isto é a SINTESE do que está acontecendo! Você NÃO PODE obrigar a todos os seres humanos a serem doutores porque, senão, QUAL a vantagem em ser um doutor no futuro?! E por um acaso já se perguntaram se alguém QUER ser um doutor?!

A única matéria que poderia vale a pena todos aprenderem e que, infelizmente o sistema de ensino FINGE que existe é Filosofia. Atualmente temos “Filosofia” na grade escolar dos colégios, mas pode acreditar: não temos! Pois o que aprendemos é a História da Filosofia e contada do jeito mais chato possível. Quer dizer, é o plano perfeito para que as próximas gerações não pensem, pois estão ensinando a detestar o ato de pensar! Filosofia não tem NADA a ver com saber a biografia de Sócrates ou Aristóteles… isso é nota de rodapé! Filosofia é absolutamente tudo o que NÃO temos, infelizmente, nas escolas! Filosofar é a síntese daqueles dois atos mesclados que já falei: o DESEJO de saber e o ESFORÇO para descobrir, e nas escolas não nos ensinam porra nenhuma disso!

Para piorar, o nosso sistema politicamente correto também atinge nossas emoções além do intelecto. Nossos pais, estes filhos-da-puta fodidos bem-intencionados, querem o “melhor” para nós, mas só podem julgar o que é melhor baseado no que poderia ser melhor para eles. SE eles tivessem tido a oportunidade de fazer uma faculdade com a nossa idade; SE eles tivessem tido acesso aos computadores como temos hoje; SE eles tivessem desde cedo aprendido inglês… não dá para saber se a vida deles seria tão melhor se naquela época eles tivessem tido estas oportunidades e muito menos se eles iam GOSTAR de ter estas oportunidades! Acredite: oportunidades demais às vezes são um problema, porque você fica paralisado sem saber qual pegar.

“Você precisa se atualizar!” está é uma frase que eu até concordo e que todo mundo diz, só que há um problema nela: se atualizar em QUÊ?! Preciso me atualizar sobre todas as ultimas descobertas da neurociência quando sou um contador? Olha, quem sabe até precise se por um acaso eu tiver um cliente desta área, mas ainda assim precisa haver este impulso… esta vontade de eu sair atrás da informação. Não vai ser legal se me enfiarem o conhecimento goela abaixo. A mente humana não é um HD, por mais que os materialistas queiram nos convencer disso. E o Google facilitou e muito a nossa vida, mas até quando esta facilidade não pode ser também prejudicial? É como o famoso conto da borboleta tentando sair do casulo: um homem a viu e, para facilitar a vida dela, cortou o casulo com uma faca e, por isso, a pobre borboleta não fortaleceu as asas o suficiente (pois esta é a função primordial do casulo, forçar as asas a se moverem) e por isso jamais conseguiria voar.

Somos todos borboletinhas super-protegidas pelos nossos pais que, por mais que queiram que a gente arranje um emprego, estão dispostos a cuidar de nós e nos sustentar até nossos 40 anos. É como se os 40 virassem os novos 18, com a desvantagem de estarmos todos velhos, feios e com marcas de expressão. Hoje em dia se fala muito para combater o Bullyng, mas eu, que sofri MUITO bullyng no ginásio, defendo que em tons moderados ele até ajuda a te fazer mais forte, pois vai te preparando para pancadas maiores que você pode vir a receber na vida. Pois não adianta nada você ser um P.H.D. de Harvard se nunca enfrentou oposição de nenhuma espécie da vida (foi fatalmente mimado) e subitamente, quando precisa defender suas ideias diante de uma platéia hostil, eles começam a te depreciar e você perde a coragem porque nunca teve que lidar com situações parecidas. NÃO ESTOU de maneira alguma defendendo bullyng!!! Mas nos proteger demais nos torna dependentes e fracos.

Eu não me arrependo (muito) de ter feito jornalismo. Serviu para alguma coisa (como montar este blog) e tenho certeza que servirá para mais coisas no futuro. Mas se quer a minha opinião, jornalismo não devia ser uma faculdade: devia ser uma pós-graduação ou algo que valha. Pois, perdoem-me os defensores do diploma de jornalismo, mas na faculdade não aprendemos MERDA nenhuma do que é “jornalizar”!

Aprendemos a escrever matérias em pirâmide invertida, aprendemos o que é “barriga”, o que é “nariz”, o que é “bigode”… mas como colocar conteúdo numa matéria isso é algo que escola nenhuma vai te ensinar; talvez, quem sabe, a Escola da Vida (outro termo desgastado, mas apropriado para a ocasião). Tudo o que aprendemos nesta faculdade é a puxar saco de editor-chefe e pegar pautas escritas pelos leitores. Depois escrevemos 20 notas por dia e uma matéria grande por semana, numa redação onde o revisor chama-se “corretor ortográfico”. Tudo muito frio, muito mecânico, muito superficial… infelizmente dá para entender por que o diploma de jornalismo hoje em dia vale tão pouco!

Por isso, amiguinhos, antes de escolherem a sua faculdade… vão viver um pouco! Façam muitas besteiras na vida, muitas! É uma tremenda bobagem esse lance de “sempre faça as escolhas certas…”. Escolhas certas o CARALHO!!! Ninguém pode dizer se uma escolha é certa ou não até você realizá-la! E pode apostar que toda escolha, por pior que seja, terá sempre um lado positivo. Paul Arden, grande publicitário britânico, escreveu um livro inteiro explicando as vantagens das escolhas erradas: elas são boas! Ás vezes são até melhores que as “escolhas certas”!

A preocupação central da sociedade não é com você… mas sobre as coisas que você pode fazer em prol desta sociedade e, principalmente, as que você pode fazer contra – que elas vão tentar a todo custo evitar que você faça! No fundo quando alguém te pergunta quando criança “o que você vai ser quando crescer” ela está pouco se fudendo com VOCÊ, quer apenas saber qual será a sua futura função nas engrenagens como uma peça azeitada. E se você puder virar um empecilho no maquinário, aí sim vão se preocupar com VOCÊ!

Não tenha medo de começar as coisas “tarde”. Eu entendo este sentimento de angústia. Tenho 26 anos e fico às vezes remoendo o fato de que muita gente de 26 já tem seu empregão e seu carro. Mas, porra… cada um tem seu tempo! E pessoas que se deram bem aos 26 não necessariamente vão se dar bem para o resto da vida, sabe? Sem falar que, com o crescimento da média de vida humana, passar 70 anos da nossa longa existência fazendo uma coisa só (porque hoje em dia aposentadoria é sinônimo de MORTE) pode ser chato pra caralho, sabe? Meu pai começou a estudar medicina aos 50 anos e hoje, com 92, ainda trabalha com isso! Gilbert Garcin, fotógrafo famoso, começou a tirar fotos com 65. Conheço dúzias de mulheres que, só depois dos filhos crescidos, começaram a trabalhar e a investir nas suas carreiras.

Infelizmente a novela “Viver a Vida” caricaturou, cheio de piegas, às raias da demência o lance do “nunca diga nunca”, mas é tipo isso mesmo! Pare de se preocupar com a faculdade. Tem coisas muito mais legais para se fazer da vida e locais muito melhores para se aprender. se quiser fazer uma faculdade, faça quando tiver certeza… e tenha a certeza de que no fundo o diploma é apenas um pedaço de papel pendurado na parede.

Life is what happens to you while you are busy make another plans” John Lennon.

 

Escrito por Jussara Gonzo

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s