Vergonha!!!

Vergonha!

Paulo Rink

———————————————————————-

Ao liberar dinheiro público, Kassab diz que povo é padrinho do Itaquerão

Fonte: Esportes – Portal Terra

Vagner Magalhães

Direto de São Paulo

As autoridades que compareceram na manhã desta terça-feira ao Itaquerão, local do futuro estádio do Corinthians, passaram o tempo se esforçando para convencer a opinião pública de que o dinheiro dos governos federal, estadual e municipal investidos no projeto trará lucro aos cofres públicos a médio e longo prazo, e que a possível abertura da Copa do Mundo do Brasil, em 2014, na cidade de São Paulo, acarretará um ganho institucional à cidade, ao Estado e ao País.

Após assinar a lei municipal que autoriza a concessão de incentivos fiscais de até R$ 420 milhões para a construção da Arena Itaquera, o prefeito Gilberto Kassab foi além, ao dizer que o povo brasileiro é padrinho da obra, ainda que muitos se oponham ao investimento. Kassab disse que o incentivo que está sendo dado ao Corinthians serve para todos que queiram se instalar na zona leste de São Paulo.

“O projeto é apenas uma peça em uma grande engrenagem. São diversas etapas, com diversos responsáveis de uma obra que tem um grande padrinho que é o povo brasileiro. Uma obra que tem o apoio fundamental do governo federal, do governo do Estado, da prefeitura de São Paulo, fazendo juntos, esta que será, se tudo correr bem, a arena do jogo de abertura da Copa do Mundo. Sabemos que não é algo definido ainda, mas que é algo apenas encaminhado. Mas a cidade de São Paulo, junto com o governo do Estado, tem se empenhado bastante para que possamos conseguir esse objetivo”, disse.

O secretário especial de Articulação para a Copa do Mundo em São Paulo, Gilmar Tadeu Ribeiro Alves, diz que tanto a Prefeitura como o Estado está confiante em uma Copa do Mundo de sucesso no Brasil. “Aqui em São Paulo não vacilamos para o êxito da Copa no Brasil”, afirmou. Segundo ele, todas as condições estão dadas para que a Fifa escolha o estádio do Corinthians como sede da abertura da Copa do Mundo.

O maior interessado na decisão da Prefeitura, o presidente do Corinthians, Andres Sanchez, saiu pela tangente. “O estádio é importante para o Corinthians, mas mais importante para o desenvolvimento da zona leste”, disse ele, que foi além: “qualquer cidadão pode pegar dinheiro no BNDES. O contrato da obra está por detalhes jurídicos que vão se resolver nos próximos dias”, disse.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, diz que o Estado só vai investir dinheiro no sistema viário para melhorar a acessibilidade à zona leste. “São R$ 470 milhões. O Estado investe R$ 365 milhões e a Prefeitura R$ 105 milhões. As principais obras são na Radial Leste, melhorando a acessibilidade, acesso à Jacu Pêssego, viaduto sobre a estrada de ferro e passarelas, além de obras da linha 11 da CPTM e na linha 3 do Metrô.

Segundo ele, a Fifa exige 50 mil passageiros por hora em cada sentido, no caso do trem. “Nós vamos oferecer em 2014, 114 mil hora por sentido, mais do que o dobro que a Fifa exige. Vai ser um legado importante”, afirmou.

Alckmin se disse confiante em ter a abertura da Copa do Mundo de 2014 na cidade. “Já foi aprovado São Paulo como cidade da Copa e a confiança é que em outubro seja anunciada como abertura da Copa do Mundo. Temos infraestrutura, hospedagem, segurança, saúde, enfim, tudo o de melhor de uma capital mundial”. Mais cedo, em seu discurso, ele disse ter certeza que a abertura seria em São Paulo.

O ministro do Esporte, Orlando Silva, disse que a presidente Dilma Rousseff (PT), ficou muito feliz com o desfecho da engenharia financeira de São Paulo para ter a abertura da Copa do Mundo.

“Venceu-se uma etapa importante. Está resolvido o problema de São Paulo. Não há que procurar crise onde não existe. O Brasil tem lei. Espero que todas obras públicas sejam feitas com o menor preço, com a máxima concorrência entre as empresas que querem disputar esses empreendimentos, garantir a máxima transparência e que sejam entregues equipamentos de qualidade à população do País”, disse.

Orlando Silva prosseguiu, falando que o dinheiro público aplicado na Copa do Mundo é um investimento. “O empréstimo que o BNDES vai fazer, será remunerado regiamente, porque é um empréstimo que vai ser pago. Assim como o incentivo que a Prefeitura oferece. São iniciativas do poder público para explorar o potencial econômico para esse evento. Incentivo não existe apenas para futebol, mas para implantação de fábricas, para estimular o aquecimento da economia. É uma política. O estádio em São Paulo é um assunto resolvido”, disse. Dia 21 de outubro, a Fifa dá a palavra final.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s