Banda Larga (sem trocadilho)

Lendo isso, lembrei da piada, das empresas de engenharia chamadas para fazer uma obra no Brasil, e que os brasileiros ganhavam e sulocariam a obra aos estrangeiros, mais baratos e eficientes. Por que será que eu lembrei disso?

Vejam a patacoada que estão fazendo, lendo com atenção até o último parágrafo. Ou eu que sou muito preocupado com bobagens e pequenos detalhes quase imperceptíveis?

Daniel Pinheiro

—————————————–

Governo vai contratar Telebrás sem licitação, diz novo presidente da estatal

HUMBERTO MEDINA
da Sucursal de Brasília

Atualizado às 11h58. Fonte: UOL

O novo presidente da Telebrás, Rogério Santanna, informou que o governo federal poderá contratar, sem licitação, os serviços da estatal. Essa era uma preocupação das teles, uma vez que o mercado de serviços demandados pela Administração Federal é grande.

Santanna explicou que a lei 8.666/93 (Lei Geral da Licitações) não obriga o Estado a contratar com licitação empresas estatais criadas antes da sanção da lei.

Embora o governo possa contratar a Telebrás sem licitação, a estatal terá que fazer licitações para contratar bens e serviços. A mais importante delas será a da empresa (ou consórcio de empresas) que irá fornecer os equipamentos e operar a rede de fibras óticas no PBNL (Plano Nacional de Banda Larga), motivo pelo qual a Telebrás foi reativada.

Para tocar o PNBL, a Telebrás terá R$ 3,22 bilhões do Tesouro Nacional nos próximos cinco anos. A expectativa é que a empresa dê prejuízo nos próximos três anos.

Anunciado na semana passada, o PNBL, além dos recursos do Tesouro Nacional, terá benefícios fiscais, empréstimos do BNDES e uso de recursos de fundo setorial. Assim, o total de dinheiro público usado no plano pode chegar a R$ 13,25 bilhões.

O governo planeja levar acesso à internet em alta velocidade para 39,8 milhões de domicílios. Hoje esse número e de 11,9 milhões. Neste ano, segundo estimativa do governo, o plano alcançará cem cidades.

A ideia básica do governo é usar a Telebrás para ofertar sua rede de fibras óticas e oferecer transporte de dados em alta velocidade no atacado (para empresas). A expectativa é que, com a oferta da rede, surjam novas empresas para competir com as atuais ofertantes de internet em banda larga (operadoras de telefonia fixa, celulares e a Net).

A Telebrás não irá prestar o serviço diretamente, mas contratar, por meio de licitação, empresas privadas que forneçam os equipamentos e façam a manutenção e operação.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s