Velha Guarda da Portela

Amigos Leitores,

Eu infelizmente não poderei ir, mas recomendo o, se não me engano, terceiro evento Boteco Bohemia em Curitiba, dessa vez uma das atrações é a velha guarda da Portela, vide “biografia” a seguir. Parece que o Bar do Edmundo no Bacacheri ainda tem ingressos à venda. Rola um boato de que até táxi para casa vai ter por conta dos caras, eu acho esmola demais, mas…

Um grande abraço e boa festa, se beber não dirija, o caô do alcool gel não colou nem pro vereador, quem dirá pra nós simples mortais.

Raul Avelino.

———————————–

Velha Guarda da Portela

Formada por antigos integrantes da Escola de Samba Portela, fundada em 1923. A Velha Guarda estreou em disco em 1970, com “Portela Passado de Glória”, produzido por Paulinho da Viola. O conjunto original da Velha Guarda era composto entre outros por Alberto Lonato, Francisco Santana, Manacéa, Alvaiade. Com o sucesso do disco, o grupo passou a se apresentar em shows, apresentando um precioso roteiro de sambas de geniais compositores do bairro de Oswaldo Cruz, subúrbio carioca, um importante a celeiro musical.

Com o passar do tempo, a formação do grupo vai mudando, integrantes idosos vão sendo substituídos obedecendo um valoroso critério, fundamental a manutenção das suas principais características musicais. Segundo o compositor Monarco, para ingressar na Velha Guarda é preciso “ter passado”, a escolha de novos componentes segue a tradição até hoje.

Marisa Monte, Zeca Pagodinho, Cristina Buarque e Paulinho da Viola reverenciam a Velha Guarda da Portela, com a produção de cds e as participações em seus shows. Em 1999, Marisa Monte produziu o CD Tudo Azul, com a Direção Musical e Arranjos de Paulão 7 cordas, a escolha do repertório é um grande presente: “Portela Desde que Eu Nasci” (Monarco), “Vai Saudade” (Candeia/ Davi do Pandeiro), “Corri pra Ver” (Chico Santana/ Monarco/ Casquinha), Lenço (Monarco e Chico Santana), Sabiá (Alvarenga), Volta Meu Amor (Aurea Maria e Manaceia), as duas últimas interpretadas pelos inesquecíveis Seu Jair do Cavaquinho e Seu Argemiro, respectivamente.

Em 2000, a convite do Governo Francês, a Velha Guarda da Portela encerrou o Festival Latitudes Brasil, no Parc la Villette, Paris, ao lado de Paulinho da Viola e Dona Ivone Lara. Em 2005 Fez 03 apresentações na França, em abril no Festival Banlieues Bleues – Paris, em junho no Festival Rio Loco – Toulouse, e no Tribunal de Honra do Senado – Féte de la Music – Paris, para o Ano do Brasil na França.

Em janeiro deste ano morreu Casemiro da Cuica, membro mais antigo da velha guarda, e o grupo passou a ter 13 componentes: As pastoras, Áurea Maria, Surica, Tia Doca e Neide Sant’ana, os compositores Monarco, Casquinha, Edir Gomes, os músicos, Cabelinho, Davi do Pandeiro, Guaracy 7 Cordas, Serginho Procópio, Marquinhos, Timbira.

MONARCO

Hildmar Diniz tinha apenas 37 anos quando foi chamado para a Velha Guarda, já que seu samba “Passado de glórias” iria dar nome ao primeiro disco do grupo. Era 1970, e de lá para cá Monarco só fez consolidar as carreiras de cantor e compositor (“Amor verdadeiro”, “Vai vadiar”…), mas nunca deixou a Velha Guarda, onde toca tamborim e é a voz principal. “Gosto de estar junto deles, me sinto feliz”, justifica ele, nascido em 17 de agosto de 1933 e que tem três sambas em “Tudo azul”, entre eles o clássico “Lenço”.

CASQUINHA

Filho de pai alemão e mãe negra, nascido em 1 de dezembro de 1922, Otto Enrique Trepte praticamente apadrinhou Paulinho da Viola na Portela, compondo a segunda parte de “Recado”, primeiro sucesso do sambista. Casquinha começou na Velha Guarda tocando surdo e hoje toca reco-reco, além de ser um dos cantores do grupo. Três sambas seus estão em “Tudo azul”: “Vem amor”, “Falsas juras” (parceria com Candeia) e “Corri pra ver” (com Chico Santana e Monarco).   

DAVID DO PANDEIRO

David de Araújo não faz por menos: “Sou uma história do pandeiro nas escolas de samba”. E é mesmo. Foi pioneiro no uso de malabarismos e coreografias nos desfiles e, no início dos anos 60, comandou uma ala de 12 pandeiristas, algo incomum na época. Passou por algumas escolas até se fixar na Portela, entrando para a Velha Guarda no lugar de Alberto Lonato. Nasceu em 28 de dezembro de 1934 e canta em “Tudo azul” uma parceria com Candeia, “Vai saudade”.

SERGINHO PROCÓPIO

Sérgio Procópio da Silva é o caçula da Velha Guarda. Nasceu em 5 de dezembro de 1967 e entrou para o grupo no ano passado em função da morte de seu pai, Osmar do Cavaco. Herdou o talento no uso do cavaquinho e a paixão pelos tradicionais sambas de terreiro da Portela, o que o faz já se sentir um veterano. Tocou, entre outros, com Zeca Pagodinho e Dona Ivone Lara.

GUARACY 7 CORDAS

Amigo de infância de Martinho da Vila, Guaracy de Castro começou a tocar violão na Boca do Mato, subúrbio do Rio, chegando à Portela pelas mãos de Osmar do Cavaco, pai de Serginho Procópio, e passando a compor com Candeia e outros sambistas. Entrou na Velha Guarda há seis anos no lugar de Jorge. Nasceu em 5 de março de 1939 e tem várias músicas gravadas

CABELINHO

Walter Silva de Vasconcellos Chaves toca surdo na bateria da Portela desde os 18 anos e até hoje desfila na escola entre os instrumentistas. É figura certa nos shows de Paulinho da Viola e também já acompanhou Clara Nunes e muitos outros sambistas. Nascido em 4 de junho de 1948, entrou na Velha Guarda ainda bem jovem, nos anos 70, substituindo no surdo Casquinha, que passou para o reco-reco.

TIA SURICA

Nascida (em 17 de novembro de 1940) e criada em Madureira, Iranete Ferreira Barcelos está na Portela há 45 anos e na Velha Guarda desde 1981. “É em sua casa que o grupo costuma se reunir para ensaios e almoços. Na mesma gostosa vila de Madureira acontecem pagodes todos os sábados. Surica está concluindo agora seu primeiro disco solo.

TIA DOCA

Cantora da Velha Guarda desde os anos 70 e pastora da Portela há décadas, Jilçária Cruz Costa, a Tia Doca, também é conhecida pelos tradicionais pagodes que organiza aos domingos. Nascida em 20 de dezembro de 1932, é uma figura queridíssima em Madureira e Oswaldo Cruz.

AUREA MARIA

A mais nova das pastoras da Velha Guarda tem o samba nas veias: Áurea Maria de Almeida Andrade é filha de Manacéa, sobrinha de Mijinha, Aniceto e Lincoln, e também é uma compositora de primeira. “Volta meu amor”, parceria com o pai, está em “Tudo azul” e tem sido cantada por Marisa Monte em seus shows. Só não toca instrumentos: “Meu pai não tinha paciência para me ensinar cavaquinho”. Nascida em 1 de abril de 1952, começou a cantar na Velha Guarda em 1998.

NEIDE SANT’ANA

Neide Sant’Anna, 55, já estava com a fantasia pronta quando tia Doca sentenciou: “Você é filha de Chico Sant’Anna [um dos fundadores da Portela, falecido há 20 anos] e tem direito de desfilar na Velha Guarda”. O grupo carioca estava com show marcado em São Paulo, e tia Doca com calo nas cordas vocais. Neide nunca foi de conviver muito com o pai nas rodas porque sabia que ele implicava que ela, uma garota, se misturasse com os bambas. Talvez por isso a idéia de fazer parte da turma dele nunca tenha passado pela sua cabeça. A herdeira só viu que o papo era sério quando foi aplaudida pelos veteranos que a ouviam cantar, ao lado das novas companheiras, o hino da Portela, na tradicional feijoada de domingo. Isso foi há cinco anos, e, desde então, deixou o cargo de encarregada de serviços gerais no Tribunal Regional Eleitoral para ser sustentada pela música. “É difícil um patrão aceitar o funcionário cantando samba e se balançando”, diz ela, com sua voz grave. Cria da Portela, como se define, desfila desde os 15 anos e já foi bordadeira da escola. Além disso, trabalhou como copeira e empregada doméstica até virar “cantora popular” e fazer show até na França.

3 opiniões sobre “Velha Guarda da Portela”

  1. Falando nisso,assisti, nesta semana Monarco no programa Samba na Gamboa comandado por Diogo Nogueira, sempre as terças as 19:30 na TV Brasil (canal 116 Sky) e reapresentado aos domingos no mesmo horário. Pra quem gosta de um bom (?) samba,este programa é imperdível. Dois portelenses,um da nova geraçao de sambistas,e outro da velha guarda de uma das mais tradicionais escolas de samba do país só pode dar nisso:samba da maior qualidade.

  2. A Aurea foi minha professora na SUAM, gostaria muito de entrar em contato com ela.
    Por favor, me ajude a realizar este sonho.
    Obrigado!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s