Queima de Arquivo? Onde?

Alguém está sentindo o cheiro de fumaça? Ah, parem com isso.

Juro que passei o dia tentando não falar nada desse caso, mas… foi mais forte que eu. Simplesmente, é só do que falam.

E o bigode? Já esqueceram???

Daniel Pinheiro

———————————

DEM representa contra a Segurança do Planalto

Marcela Rocha

Fonte: Terra Magazine

O DEM protocolou no fim da manhã desta terça-feira, 25, uma representação, junto à Procuradoria Geral da República, contra o Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Segundo o presidente do partido, deputado Rodrigo Maia (RJ), pode ter acontecido uma “queima de arquivos” quando o planalto negou a existência de imagens e outros registros que “comprovariam” o suposto encontro entre a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff e a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira.

Na última quinta-feira, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), encaminhou à Presidência da República o pedido da oposição para receber cópia das gravações do circuito interno da Casa Civil do período de novembro a dezembro do ano passado.

O requerimento do DEM pede também a planilha de carros que entraram e saíram da Casa Civil no período. Em nota, o GSI informa que não tem mais as imagens desse período.

Os registros foram requeridos pelo partido para tentar provar o encontro entre Dilma e Lina, no qual, segundo a ex-secretária, a ministra teria pedido para “agilizar” as investigações sobre a família Sarney na Receita.

A representação, segundo Maia, é para que o Ministério Público Federal inicie uma investigação sobre o ministro-chefe do GSI, general Jorge Armando Félix, diante da suspeita do que chama de “queima de arquivo público”.

Para o correligionário de Maia, deputado Antônio Carlos Magalhães Neto (BA), “é muito estranho que, com a tecnologia do mundo moderno, um governo não tenha condições de armazenar, em seu banco de dados, os registros de entrada e saída do local mais importante, o Palácio do Planalto”. ACM acredita que o “escapismo do governo deixa configurada a mentira da ministra Dilma”.

O marido de Lina Vieira, Alexandre Firmino, foi secretário-executivo do Ministério da Integração Regional de Fernando Henrique Cardoso. Questionado se isto atribuiria a Lina qualquer tipo de suspeita, o deputado baiano, nega: “ele (o marido) ocupou um cargo técnico do FHC. Lina foi escolhida pelo PT e sempre foi tida, nos bastidores, como claramente petista”.

Para o ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, “na administração pública, a tônica é a publicidade”. “Se há um controle de acesso à repartição pública, esse controle tem uma finalidade. E a finalidade é dizer quem foi e quem não foi ao órgão”, acrescenta.

– Não consigo perceber alguma coisa que deve ser escondida em termos de administração pública, acho que a eficiência decorre da publicidade dos atos. É a única forma de a sociedade acompanhar o dia-a-dia da administração pública. Acompanhando, temos a busca da correção de rumos – conclui o ministro do STF.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s